Faltaram propostas, sobraram fakenews!

Talvez essa tenha sido a campanha presidencial onde os eleitores não sabem uma proposta concreta de nenhum candidato. O mais preocupante é que estamos falando do cargo mais importante do país, Presidente da República. 

Quer ver um teste rápido? Me diz aí uma proposta de campanha de Haddad ou Bolsonaro em relação à saúde, educação, segurança e saneamento? Consegue, mesmo que de forma resumida, dizer apenas uma proposta ou promessa de campanha?  Bom, se souber de alguma você faz parte dos menos de 1% da população que leu o programa de governo dos candidatos. Uma coisa eu garanto, com certeza você não viu propostas dos candidatos no rádio, jornais impressos, internet ou televisão. 

Essa foi uma campanha sem propostas. Essa eleição se resume em ataques pessoais entre os candidatos, brigas entre amigos e amizades desfeitas. Propostas beiraram a zero. 

E os maiores culpados disso tudo é a mídia. Digo, rádio, TV, jornais impressos, internet e por aí vai. 

Quem aí não lembra das entrevistas dos candidatos ao Jornal Nacional? Alguém viu ou ouviu, alguma pergunta de William Bonner sobre as propostas dos presidenciáveis? Pelo contrário, o Jornal nos seus 30 minutos de “interrogatório” foi regado de retóricas, fatos passados e nada, nadinha de nada sobre o projeto de país futuro. O JN abriu as portas para uma campanha sem propostas. 

O que vimos nesses últimos dois meses foi isso. Candidatos se atacando, a mídia mostrando o dia a dia dos políticos e, por fim, os debates que, em sua essência, deveria pautar por propostas, mas, mas… foi apenas mais um palco de horrores. Aliás, debates com perguntas de 40 segundos e resposta de 1:30 (um minuto e meio) não servem para nada, a não ser, encher linguiça e enganar bobo.

Enfim, as eleições estão aí e o povo brasileiro não sabe sequer o que Bolsonaro ou Haddad tem como projeto de país. Triste Brasil. 

Veja também...

NAS REDES SOCIAIS

Siga as novidades também em nossas Redes Sociais